O Sentido da Vida!

”Eu derivei meu amor
Mas percebi que o limite
Tendia para o infinito.
Como solução somente a integração.
Usei a integral indefinida
Para calcular seu tamanho,
Mas percebi que era n-dimensional.
Então achei que era tudo relativo, dependia do referencial.
Em cada ângulo imaginei meu amor,
Mas percebi que em leis não se enquadrava.
Achei tudo aleatório,
Pedi socorro à probabilidade.
Se era uma variável discreta ou contínua,
Foi difícil diagnosticar.
Mesmo com intervalo de confiança
O amor caiu além dos limites.
Soltei o coeficiente de aceitação,
Mas o amor assumiu valores
De uma complexa inequação.
Então tarde eu percebi
Que o amor não tem explicação.”

– Qual o sentido da vida?

– hm,… Nascer,crescer, procriar e morrer!

– Não – isso é o que ocorre, mas qual é o sentido de tudo isso (que alias são fatos corriqueiros diante a imensidaõa das horas),, pra que viver ”tudo isso”, pra que existir??

–  Cara, não sei, vai ver essa não é a vida completa, pode ser uma parte, vai ver em outro lugar haja uma vida maior, não sei… [é um sonho!?

——————————————————————————————————————————————

” Nós criamos o sentido da vida, mas este criar é secundário – é exercido na busca do sentido da vida; se nos apegamos aos sentidos criados (mesmo por um segundo do dia) corremos o risco de perder as estribeiras e afundar-se em sentidos impróprios, ou seja: que acarregam uma noção de  que o próprio sentido é a busca – caís na busca de sentido, e então te estressas e deixa–te dominar pela busca imagética de sonhos e desejos que na verdade escodem ”sonhos e desejos ”mais profundos e naturais , que realmente querem bem estar e o tão cultuado,e desconhecido, amor….

Na busca de sentido, muitas vezes e negas a ceder ao que deves, ao que, harmonicamente, sente ser melhor para vc, perdes então um pouco do fluxo de ser feliz! Sabemos disso – no fundo todos o sabem quando estão fujindo do sentido primordial, subjacente à relação com o mundo, consgio mesmo, e atrelando-nos a sentidos ”imprórpios”, um tanto confusos e estimulantes de noções dificultosas, soirmentos psiquicos; e se a voz da intuição , que ealmente comdand todo aspecto da vida (é o ato de entender seu mundo por traz das aprências puramente culturais, ou no mínimo ser mais amplo, no sentido de observar melhor as nuances de sentimnesots e ponderar com facilidade as imagens), consegues vencer esta etpa e retornar a felicidade de cirança, do aprender sempre,atento, que todos no fundo querem!

” Encontrastes o que desejavass, entretanto, o que querias contínua em contínuo…”

Acontece que o mundo é constantemente projetado para a negação do querer profundo, do sentimento de liberdade do ser feliz – aquele que se integra com o derredor e projeta harmonicamente sentimentos reais – não mais de separação imagética, artifical, conceitual – de busca de simplicidade ,de convívo pacífico e ,principalemnte, não símbólico. isso nos enche de substância e contentamento, vamos aprofundando a práxis psicológica, amadurencendo e decobrindo que isto é tudo de bom: saber separar imagens de sentimentos, desejos (secundários) de ”quereres” (primários)…. E isso constitui a maior busca do humano, por traz e como pano de fundo de todas as buscas, de cada ato , ação e horizonte intelectual…

Então a sociedade, mesmo livre, padece por causa do socialmente institucionalizado – não adiante negar isso, pois o ser humano é automatizado,e pensa que o autómatico é comum. Queria eu que todos experimentassem as dimensões internas, e descobrissem que todas as pessoas que verdadeiramente foram felizes, todos os individuos considerados saudáveis pela psicologia postiva, tinham, permitam-me o termo, um ”flown expandido” – menos imagético e pautado pelo bem estar subjacente, natural áquele que sabe viver, e assim compreende que cada situação tem o seu quê de alegria e contentamento, basta abrir-se para buscá-lo, entende-lo  e plenifica-lo criativamente, cendendo ao processo do autoconhecimento – ja referido em outra postagem (Autoconhecimento)!

* Flow é o ato de se sentir bem,plenamente bem, com o seu ambiente – a ponto de notar certa calma e um relaxamento feliz, vivo, com o ambiente e os pensamentos,suaves por sua vez! Geralmente ocorre quando ”fazemos o que gostamos, o que realmente gostamos”. ”Tipo” eu quando escrevo, amo, medito ou converso num estado mais intenso de percepção – de flow expandido!

Parece até mentira, quando digo que, dentre esses aspectos, ou práticas, o mais importante é a meditação – porque ”ela” é o mecanismo definitivo de libertação espirtual(termo hoje não só usado em contexto religiosos; pode ser referir a uma intima relalção consigo mesmo, um sentido sagrado de respeito pelo seu observador, e consequente liberdade ante as costumeiras e agitantes pressões internas, sejam elas um streess ou burburinho,mental, para fora ou para dentro). Pois ela cria um vão onde toda a percepção pode ser abrangida*(vide post ” A granja da Liberdade,  parágrafo 26),  com corajem e fé;

A fé é no futuro, que equivaleria a dizer, fé no eu que aprende, no eu consciente, aquele que não é constituido só de historinhas, mas de uma clareza maior naquilo que, já referido, está por traz de cada ação, movimento e ato. Essa fé no eu,profundo eu, que não é nada distante como possa parecer  – a distância vem de uma profunda negação do humano quanto a si mesmo ( tal como referido no livro de Eva Pierrakos , psciologa, O CAMINHO DA AUTOTRANSFORMAÇÂO, que, alías, trata de tudo aqui dito e de tudo o que precisa-se saber para efetuar a ‘iluminação por ti mesmo”). É necessário muita confiança e até mesmo ser amante do seu eu possível, do não padronizador, que olha e vai além – e este só se torna realmente possível e vívido quando compreendemos que isso não é uma opção, mas uma necessidade ; o autoconmhecimento é uma necessidade! Isso chega, de forma clara ,relamente ilumninadora, por meio da dinâmica consciente proporcinado por práticas meditativas – as quais, pra desavença de uns, incluem vencer as tendencias do ego (daquele que pensa que é), que incluem o devaneio,a proposta insconciente de imagens na hora do falar -e se fosse possível do agir -, a atentativa de olhar mais a fundo o stress, a raiva, a tristeza – que são todos ‘historinhas’ que encarnam uma vontade mais profunda de Ser, de permitir-se entender o que lhe é permitido (na vivencia; e não para além das possibilidades da vida real, não cartesiana).* REOMENDAR JA sobre OLHOS ATNETOS AO PORVIR,

* sobre horizontes da vontade de vida, fé do humano no humnao:

Questão de horizonte,de fé!

Alguns de ideologia materialista  questionam isso, mas eu, tendo estudado sobre os ”intintos” humanos de morte e de vida, percebo que tem uma tendencia velada em cada ser de buscar expansão e vivencia – do contrario permaneceriamos sempre bitolados, até mesmo parados, em nossa busca pelo saber e pela consciencia das coisas.

Portanto, algo nos move – não sei o que e não poss dizer como, mas esse ”horizonte” ,algo invisivel, é o que no fim das contas, traz toda a paz, a inteligencia e o regozijo de que necessitamos para concluir a meta da existencia, da COMPLETUDE DO SER!

 Esse senso porem, só vem com profunda fé em aprender, não tanto por rever conceitos mas por estar atento aos novos aprendizados – até que estes se sobreponham aos conceitos determinanados, que, quanto mais gravitam no universo da consciencia, mais a restringem em saberes superficiais e vãos ,para a propria significancia messmo da experiencia do viver .. ENtão, quanto mais fluxo de observancia e integraão/expansão do nosso ego ao mundo, mais nossas necessidades serão supridas e nossa conciencia crescera… NEcessidades estas infindaveis e insondaves a não swer pelos HORIZONTES, Da FÉ!!!

Tal como nos ”prova” os seguintes artigos:1x 2x

e mais o seguinte vídeo:1x

]Ja ja os detalhjarei….


O ”cartesianismo” é uma ideia, uma forma de pensamento convencional,q ue verdadeiramente não faz o mundo – o próprio processo de parender tem uma pequena porcentagem do que chamamos de cartesianismo – que usa regiões do cerébro que atrlam à memoria a busca por razões para justificar e enteder o todo do mundo! Ele está fadado ao erro, sempre que se torna preponderante ao sentimento, ao reconhecuimento do momento, do agora, da vida real, sentida, não imagética, em si!

Então, graus de erro e graus de prionfundidade são diretamente proporcionais à predominancia ,e aparente tentativa, do cartesiansmo eme entender o mundo – suas horas são específifcas,e e em relaidade poucas..

O que  refiro como cartesianismo’ na verdade é um processo cerbral que utiliza mais dos padrões primitivos, de pnesamentos que passam pelo lado insitnto do cérebro (amígdala, o cerebro réptil), do que de formas mais claras, e pensamentos mais livres, mais auscultadores, relfexivos, na forma de enteder / ver relamente o mundo! EIs a diferença entre a sobreposição do ver real ao ver imagético… As historias do ”cartesianimo” frequentemente trazem uma noção de apego e não os deixam viver plenamente a frqeu~encia de ondas, cerebrais, de sintonia mental *¹²(pois como és, como sentes, ou mesmo como pensas sentir, determina a sua forma de interagira harmonicamente ou não com o mundo, de ve-lo belo ou feio – algo que, como os miste´rios das nunves carttesians, podem estar máscarados em siples ideias que conduzwem a pdrões de compotamento – notamos isso qujando a felicidade exarcerbada vem acompnahda de imaturidades, que é o que mais aocntece por ía, Entratnod entretanto, na m´sitica de viover, no verdadeiro e inebriante ideal do ”ver a vida”, pelo que relamente tem de existnete, vamos fujiondo dessa concepção, dada ao cartesianmiso de NUVEM – origem da palavra m´sitica – e ficando a par desa intensa alegria que muitos sentem,sentiram,e não entendíamos, ou a par doq ue relamente importa na vida, para onde vemos, porquie queremos, agimos e sentimos, e isso no dá uma correlçao poderosa para buscar a felicidade e esquivar-nos dos auto enganos e vícisos ”comuns” da personalidade.

Todos os vícios, na verdade são sentidos internos que tentam bortar-se mas que, por pressão do intelecto, da mente racional-egoica, não conseguem plenificar-se, ocorre o chamado medo incosnciente, ou consciente – o que ja seria um progesso . Vemos este medo na forma de lidar das pessoas, com tudo no mundo. è geralmente mais eviddente nas relações socias. QUanto mais ravia aparece ou se tem, e quanto mais apego a estas sensações, mais a pessoas tem medo de si mesma , do que pode aprender se se desapegar das imagens idealizadoras do eu que impedem o cresceimntno e a ascenssão da plenificação do sentido próprio, primoridao, já referido. Então olha-se alguem assi, a pena ou a compreensão? há ele está agora vivencdo um institno de origem anima -usa o medo para justificar posições agressivas, de agrassividades tanto apra dentro quanto para fora! QUando isso se intenseifica, é sinal que uma transformação está próxima – ma só quando o próprio ser passa a notar isso  ´e que as coisas acontecem, e ele se ver opbrigado a encarar frente  a frente a sua sombra – ver que foi sempre ele que errou, emt udo na vida – e aceitar sua imperfeição ; até que, aceitando a sua imperfeição, torne-se perfeito, pois: CITAR PENSAMENTO BUSDISTA DO CADERNINHO, sobre A IMPERFEIÇÂoe PERFEIÇÂo! E assim passa a construir um mundo melhor apra si – acessa as possibilidades cirativas, que só atuam relamente em nosso mundo quando o emocional se plenifica, se torna útil, conhecido e prático – direcionado para as verdades de si mesmo! Nessa hora aparecem as dificuldades: o rpofundo medo, o profundo desanimo quanto aos inumeros sentidos artificiais que permeiam a sociedades, podem aparecer – e você se vê obriagado a: ou retardar a ascencção de si mesmo e ser feliz, aventuramndo-se nas perigosas seguranças (a segurança real – EVA PIERRAKOS citar págs) de navegar no auto mar das percepções e embates frente a frente, holisticos, com o mundo ou de, oq ue geralemnte ocorre nos primeiros momentos – que podem duar anos – se tonrar recluso e ceder seu eu aos outros ou viver num desanimo impressionantemente vísivel, para si e ou para os outros!

è fase porem, e adentrando-se no autoconheer,descobres: tudo é fase e passa . Todo sofrimento e dificuldade são como nunves que discorrem tendencias preexistentes, ao devaneio e a fuja da introspecção, do tornar-se seu, que vem e vão, num ciclo ‘sazional’ q1ue só termina quando a enfrentamos, algum dia frente a frente…

è nesse instante que a meditação entra – comolaurel da razão e ascencional metodo para o autodomino (que não é nada de contingente, pelo contrário, é a única liberdade) e a plenificção das potencialidade humanas (*¹²³: vide POSTAGEm: MEDITAÇÂO: CAMIBHO PARA A REALIAÇÂO DE SI MESMo, na parte sobre testes científicos- faltou CiTAR AS QUESTÔESD DA AMIGDALA E DO CORTEX PRE FORNTAl)

Todo este palavreado não seria necessário àquele que ”cedeu mansos ouvidos À verdade”, como um monge budista – que ao contrario do que pensam são pessoas em geral extremante ativas na comunidade, felizes e predominantemente sorridaentes (ao contrário do que vê-se por aí, na ”sociedade moderna”). ENtrentao, visto À fuga do humano para uma maratona no derredor de verdades e vontades fundamentais, nboas para todas – indo por isso ao estudo das ”razões” ,secundarias, onbservaveis, quanto aos faos da vida socia, ma sem efetuar plenamente a devida prática, divulgfar relamente os aprendizado, tivemos que nos referir assim.; a tal ponto que hoje a sociedade moderna redescobre verdades fundamentais e antigas dos preceitos de sabedoria das sociedades antigas e tradicionais (celtas, xamânicas, hiunduistas, critãs,etc), desde práticvas mais singelas (mas bemn integraticvas e necessarias) como danças coletivas às mais complexas, como a compreensão de que seu meio é parte de vc e tudo o que é feito, mesmoq ue não pareça lhe afetar, sempre afetara vc e ”os seus” direta ou indiretamente/ isso pode ser relacionado à transdiciplinariedade, ao holismo,a ecologia, psicologia e a antas outras coisas, que são o thcan da sociedade moderna ou sempre foram o thcan das ‘emperradas discussões intelectuais’!!!  CITAR VIDEOS no asterisco: http://dharmalog.com/2012/06/13/de-tambores-agressivos-a-sussurros-suaves-os-pensamentos-e-a-meditacao-pelo-monge-tailandes-tan-dtoon-video/     http://dharmalog.com/2012/06/06/como-vai-voce-jovem-monge-tailandes-tan-dtoon-fala-sobre-relacionamentos-superficiais-video/  MONGE SObre o COMO VAI VOCe e sobre a agrssividade dos antigos pensamebntos, de frequencias agressivas da mente, Citando apos o estudo e a correlação que fiz entre pensamentos, numeros + agressividade/agitação eos sentimentos, silencios sinternoe e acolhimentos amorosos…

Devido a isso o movimento hoje é: sair logo do papel  e ir direto a ação, mão na massa e fuga dese egoismo, desa mesquinhez de olhara as pesoas e as ”buscas de seu meundo” predominantemente por esteriotipos (quando nao somente) ou ideologias (que são quse sempre o artefato apra fugir à uma maior intereçao, profundidade e alteridade), e ir direta ao encontro consigo mesmo, nas paáticvas da vida. Veremos então que estavamos perdendo mutio, muito mesmo, em relação a nóos mesmos  – largar os birnquedos da percepção apegada, tolhedora da visão plena, global dos fatos vividos so pode ser vivida pela citada dinamica cosnciente (plenamente possível em poucos meses para quem tem coragem**) – é bom , vale a pena e mais: é SUMAMENTE NECESSÀRI para concretizar todos os sonhos do si mesmo e da própria sociedade, nas buscas que tem por felicidade, contantamento e harmonia. Até que nos damos conta: diante do que ‘sei’ e sinto agora, aquilo que eu vivia como alegria, verdade e busca eram simples agitações, vãs, em realção /á essa plenitude – inebriante e acolhedora! è lindo meus amigos, não retardem isso! VIDEO THAK YOu – ALanis Mourisset

Eu gostaria de ser um exmplo do fato dessa profunda individuaçõa que toda alma, todo ser pede contantemnte, Entrwetanto, sendo eu parte integrante dessa nossa sociedade, e caregado de pronfundos cmedos, sempre que começo a plenificar isso, mesmo indo nas alturas meditativas, após dias de treino, sentindo amor e alegrai começo muitas vezes a pensar: vão pensar mal de mim, homens que sou gay, mulheres que sou doido,tarado talvez, transeuntes que ou meio maluco – entretanot esta é só uma ”loucura passageiras”, ”resquícios da loucra geral, das padronizaç~~oes, que o povo vive.; nessas horas gosto de remontar-me a OSHO: vocês passavam a vida preocupadas com os outreos, o que são o que fazem e o que pensam, entretnato, niinguem está relamente interessado em você. Viva feliz, seja, seja feliz, e verás: ninguem se importará e vc se mamara profundamente – este sera seu maior ganho – garanto! Recusar issto é recusar a si mesmo, Uma vez apreendido isto porem, deixa de ser misterio, e sua vida passa a navegar nos altos mares das profundas e açambarcadoras sintonias mentais já citadas! ENtão SERa AAVANSTE<AVANTE SEMPRE..As pessoas, o social, deixam de ser ilusão e se integram a voçÊ: nunca existiui sociedade, para voce nem para ninguem – esta crença impedia a porpria integraçção doq ue chamavas mundo, epssoas, comunidade.. Entederas isto qquilo que tiver a coragem, e também o PRensente do COntentamento, de indivuda-r, algo que ocorrerás as duras penas de começo – porque estais passando pelos preocessos ditos por Sri Aurobindo: 1 RETONRAR AO cENTro 2 – Expulsar o que é falo 3 – Avendturar-se por dimensões desconhecidas e belas da criatividade od espírito!

Pra que esperar!

Tenho que dizer porem que a 1 e 2 fases ssó são difieis pela resistencia que teimamos em oferecer, interpretando tudo em imagens. Dese modo cito o vídeo: Yogue sobre PERDA D FoCO e o treiono meitativo: http://www.youtube.com/watch?v=sHjuawcmndI&feature=related

Prem Baba disse algo assim: Despois que o sofrimento chega, faz o seu trabalho , ele desaparece, como clara neblina que passou e elvou  o que jamias existiu dentro d si… Alias recomendo que o acopanhem, em seus dizeres e ecnotros – são de uma profunda iluminação! Ele transcendeu o puro academicismo da psicologia e botou tudo plenamente em pra´tica, integrando o tod de si  mesmo, finalmente compreeendendo: a representão não me pertence, sou ser e nã coisa – o que importa e realemnte exsite é o que esta dentro, fora é so espelho. Se te tornas o proprio espelho a felidade surge e a vida se torna um empreendendorismo de altos mares, gratificantes situações, inebriuantes presenças!    Jay Guru.

KARMA YOGA, KRYIA e 2 passo: AMor pleno!

Postagens recomendadas: AMor 1, Amor 2, Amor 3, O Sentido Da Vida 2, Ser e Coisa,etc.

Aos jovens, ou jovens em seu intento, que como eu estão ansiosos: http://dharmalog.com/2012/06/12/carta-de-rainer-maria-rilke-a-nos-jovens-tenha-paciencia-com-o-nao-resolvido-ame-as-perguntas-e-viva-tudo/

CIATR Por fim: PENSAMENTO MD LU sobre a importancia da desipnotizante noção de que aui,oonde me encotr deus existe – que completa a pratica meditativa e a plenifica intensa e rapidademente, pra quem ‘tiver corangem!de p s i centr

JA.

**: o medo de ver globalmente é também o medo de resolver seus próprios traumas e assim encontrar possibnilidades maiores de aprendizado, naquilo que surge de novo – ao qula, naturalmente, tu desconheces. A agitação e fluxo de pensamentos, muitas vez sem nexo ou em númnero tal que não se consegue acompanh-alos, ou a visão a partir de ideologias, escondem uma flata de percepção e uma complacencia quanto ao proprio sofrimento, quanto as coisas que ocorrem,etc. quem nunca notou que muitaz vezes ao conversar rapidademnte um cohnhecido existe um certo ar de distância? Porque ele existe? è necess[ário repensar todos os desafetos da vida, todas as dificuldades, todos os ”sofrimentos”,todo o sistema social de comportamentos, para poder enterder-se melhor e ser realmente proativo em seu mundo. Não parece fácil, mas difícil mesmo é não faze-lo – não amar o mundo em que vives de forma tangível – garanto! Por isso recomendo a meditação: experienciar esses por menores que a infancia e o desenvolvimento da personalidade foi mascarando em sabees, preferencias e dispersões é de suam impotancia para adquirir crescente uintuição quanto a estes reinos, do que não queremos ver e do ‘deconhecido’! AS vida melhora e vc não tentende como poderia viver sem a sensação que sentes agora. Os extrovertidos,agitados,aznziosos, consguem ter um equilibrio, o medrosos mais agitadores, galanteadores por assim dizer,enfim: cada um pssa a percber, ponderar e integrar cada vez mais a sua personalidade ,até torn-ala plenamente total, como realmente o é – ser inteiro e feliz; isso desenvolve a inteligencia e essa intereiraeza aplica a capacidade da memória, do raciocionio lógica, da inteligencia emocional,e por aíi vai – até que surjam as experiencias místicas, que inetivalmente surge para aqueles que seguirem mesmo o roteiro, contiunuamente, matando medos e tendencias, ecnontrando possibilidades, ousando quando necessário, calando e se abstendo de agir quando para evitar certa alineação pela ideia do outro! Pode não aprecer fácil mas é uma experiencia onde, lamento dizer, cada um deve ponderar o que fazer ou que não fazer. O importante mesmo é desenovlver essa percepção interna, de amor, paz, silencio e empreendendorismo, pela meditação e o confronto livre de associações com o ‘ritual de viver”;Isso gera a libertação! Para os mais esforçados, que entendem mesmo as possibnilidades infintas que temos, recomendo enfaticamente a Kryia Yoga e os ensinos destes mestres divinos que a utilizaram para comungar com a Realidade! Entrem em contato, praticam o metodo de extinção de devaneios e necessidades secundarias – rapido pratico e prazeiroso – e depois, sentindo o amor divino, que sempre surge em quem se dedica, se esforcem por manter a constancia na percepção do todo em suas existencia, esse todo que é Deus e pode ser , durante certo temponfocado em ideias e sensações – pensamentos constatens, fixos mesmos, que te desviam dos devaneiaos e permitam maior limpeza e clareza na resolução dos demias saberes da mente, do auscltmaneto e,etc. e o q M d Lu chamou de ”hiopnose desipnotizante”, que é semlhante á oração – porem, se atentarmos bem, todo este processo de hipnotizar-se e desipnotizar-se é algo inerente a prria vida e ao aprendizado, e o grande problemas está em não saber separar-se do que lhe a aprecee, ndo que aprende, do que vê ou do que faz – por tudo o que ocorre é passagem, seu eu, pelo contrario, é eterno para si mesmo, único e absoluto, não podendo nunca ser enquadrado em conceitos, posições, pensamentos, situações.  Até que descubras que a felicidade pode ocorre mesmo na forme a ena mizeria pode demorar – tal como disse o mestre Jesus.

Inclusive,após toda esta prelação, podemos muito bem correlaciona-r os seus ensinos com o que sabemos de toda esta gama de saberes do homem, de sua forma de compreender o mundo, do avanço nas ciencias, na psicologia, na neuroliiga, das sabedorias tradicionais, e mesmo nas mpusicas – no fundo tudo o que não é essencialmente tecnico (como a cosntruação de casas e obnjetos facilitdores , apsar de esconderem uma motivação subnjetiva) aponta para a mesma verdade: a transcendencia de si mesmo! Este si mesmo que não existe nem nunca existui a não ser perceptivamente, está sendo constantemente sendo projetado apra fora, disperdiçando suas energias com o que não deve ou que não lhe traz efetivamnte contentamento – seja num simples andar na rua, em meio a devaneiso, os quais já explicvamos muito bem o que são! Se diriges a atenção interna para fora de forma nitida, vias compreendendo a não sepração com o mundo, e isto de livra da fuga,e da operação em ”mares baicas”, que são as ideologias, ou ideias apegadas, sem complexidade.

Ja explicamos que imagens existem na mente – e podem existir, entretnato, num ser desenvollvio, estas rtrtazem sempre um conteudo plenamente emocional, porque estão de acordo com a vida em que se vive, o calabalmente exsitente (não imagético, não representativo) . Isso é explicado no documentario janelas da alma, citado no post X- que postaremos –   Lu

Bases da doutrina evangelica

Perdão: Perodar as faltas dos irmaãos de forma intensa é abdicar de julga-los, é ser sociavel com tudo e comn toods, sem entretanto apegar-se a um imrão ou voncersa como unico amorde sua vida – é saber que tudo e todos que gostamos encarnam um amaor universal que exsite em nós mesmos.

Indulg~encia: não julgar nada enm ninguem Observar o mundo pelo que sensivelmente lhe proões, apreende-lo a partir do sensível e eviver por estas verdes,d esocbrindo entção que o futuro a Deus pertence, o passado só contingente pelo seu medo de mudar,de analisar e ser livre, que cria o apego a ele, e o rpesente é a única luz – um Verdadeiro Pesente, que pode ser usado para dentrar num mundo incrível de paz e contetamento, de possibilidades crescentes,então: não mais dsofrimentos, só novidades ,regozijo , mesmo  que caminhem todos os dias nos mesmos lugares…

Benevolência: tendo purificado as intrjeções, perdoado as experiencias passadas de si mesmo, os traums perante aos outros, tendo purificado e libertado as tentativas de desvio da consciencia – observando melhor o mundo e sendo acolhedor apra consigo, descobres que a lei: o que faz aos outros assim tb a vc, é de suam importancia – porque verdadeira. Entrtetanto, a benevolcencia rela só é qauqla que não sabe de si, que esquece de ser huymilde e verdadeiramente é – que sente um pulsar do coração sem egoismo ou vaidades, e vai evoluindo apra se tornar sem Urgencia m até que descubras: vc é o seu mundo, seu mundo é vc e o Amor é asubtancia de tudo o que existe ; tudo o que não é amor são simples projeçoes das atividades humanos – o que ocorre, o que existe entrerentao é o inexplicavel : quailo que, como disse, é o sentido da vida: o Inexplicavel amor (desinteressado por natureza)!!!!

Tanto a falrt entretnato, deixa a seguinte correlação:  Disciopulos de Jesus foram taxados de bebeados pro certas cidade s- porque estavam alegrers e ”abobados”, entretanto efetuavam curas e discursvam com marestria a população, O povo os acoimou de bebados, eles porem não estava – estavam em cosnceincia avançada,onde, de ínciso, parece que estamos ”abobadas”, entretnato, aperceplçao ampla, a inteligencia, exacerbada!    Tudo é assim, basta saber entender este mundo em que o cérebro se automatiza ao maximo e a consciencia se expande,r umo a felicidade e o reconhecimento daquilo que exsite, que está alem do veu da separação imagetica! Os atomos viabram, a consciencia sente  tudo parece unifcar-se num senso incrível de completude e de harmonia, mesmo nas mais esdruzulas situações. Esperiemtnem sentir esta expansão, este amor desinteressado – alias,s este amor e´tudo o que o homeme ama, e insiste em buscar nos outros – EU PENSAVA QUE RECEBER ERA TUDO O QUE VALIA (http://www.youtube.com/watch?v=0-kt9fzGDSk  ) -, De sem querer em troca, esqueça de si – estes s~çao os maiores ensinamentos para efetuar a dindividuação, porque esquecer de si é  conhecer-se (para se conhcerce é necessario lembrar de si mesmo, apra lembrar de si mesmo, esquecer-se de si mesmo). Os humanos possuem amor incondicional pela vida,- que só brota com o reconhecimento de que não existem, nunca exsitram nem exsiteram projheçoes psicologias – é quando o centro retorna e a vida torna-se una. Novas buscas então aprecem, num rumo incontinete ao Infinito, Infito Incirado, como diriam alguns yogues!! Namastê     LU.

Recomendo livro: Perspectivas Sociológicas.

Poastagem Incentivo!

Passei muito tempo encarcerado,

Na fileira das vaidades;

E, hoje, meu coração se abriu, em verdades,

Para a profunda renascença  – aonde está a Presença,

A suprema reverência,

Ao viver e ao estar

Que mata o instinto primitivo

De se recusar a amar

E cria as possibilidades do íntimo,

De ,hoje, finalmente elaborar

Reinos de luz, legados de paz..

Lugares onde reis e rainha caminham saltos pelas paragens do agora

Então venha – junte-se comigo, sem demora!

O Reino, que já lhe pertence, te espera – naquele mesmo lugar aonde o seu coração sente!

Não perca tempo, baile o vosso entendimento, reverente, à eterna luz subjacente, existente em todas as coisas, desde muito tempo – neste mundo aparentemente incoerente!!!!

Realize-se na portentosa consciência

De viver em ciência, buscando a vivencia

Na certeza do amor

E no legado da paz

Onde o eterno nos segura, e para sempre jaz

– trazendo bondades e perspectivas reais

Onde o snetimento pode fluir sem temporais

Nas eternas novidades das auroras matinais

Nos murmúrios soberanos das reflexivas noites

Nas proeminências das sempre ternas consciências

Que nos acompnhan a vivencia

(…)

Mas o coração ,em penitencia,

Cala a ciência, das divinas e pequeninas coisas pequenas

Pois quem não olha o todo, tão pouco pode ver a pequenez das partes

– escolhe uma só, a cada hora, e tem de simbolizá-la;

do contrario –terás que matá-la (essa referência)

E tornar-se de novo , um com a vala*

Onde quem se joga só pode ter uma resposta:

A FELICIDADE SEM ESCALAS!

*vala= morte de si mesmo, da segurança de controlar o mundo em pensamentos ou formas de ser centradas mais na sobrevivencia do ego… CItar apostilas sobre Chakasra s e psiologia’.

 

http://psicologatbla.wordpress.com/2010/05/11/como-posso-fazer-desse-mundo-um-lugar-melhor-para-viver/

http://psicologatbla.wordpress.com/2012/05/31/uma-reflexao-sobre-as-perdas-que-vivemos/

http://psicologatbla.wordpress.com/2012/01/23/um-ser-inteiro/

 

 

“Quanto mais acumulamos novos conhecimentos, mais nos privamos do mais importante de todos”, J. J. Rousseau

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s