From Joy I came, To Joy I Go, For Joy I Live

Obs.: no pequeno recado sobre o feriado, tem 4 incógnitas, que representam palavras que eu ainda não consegui decifrar……Rsrs
———————————————————

For joy I Came, To Joy I Live!

(Da alegria eu vim, para a alegria eu vivo)

From Joy I Came, To Joy I Go, for Joy I Live!

Da Alegria Eu Vim, Para a Alegria Eu Vou, ‘Em Nome’ da Alegria Eu Vivo!

(frases de Paramahansa Yogananda)

 

A felicidade, tanto na Terra quanto no céu, é uma questão de disposição, de estado mental! Em verdade, aonde quer que estejamos o infinito de Deus também está!

Sempre que isso não se cumpre, de fato é a alma que ainda não se decidiu à verdade de si mesma;

 

Tudo é questão de auto-imagem, de auto-representação! Isso se afirma quando compreendemos que sejamos quem formos, façamos o que façamos, a verdade do Pai pode se manifestar na hora de nossa decisão – se assim o quisermos!

 

Tudo no mundo trata de acreditar ou não na verdade da existência!

O materialista cria apegos e jamais os esquece; o espiritualista, porém, compreende que há uma só verdade no reino de Deus – e não faz alarde disso, sob pena de desviar-se da égide a qual tende a divisar*º!

Tudo, no campo da alma, é questão de escolha – mesmo que nem todos tenham percebido isso em algum momento!

O sofrimento, a infelicidade e o temor são escolhas momentâneas, que podem ser feitas a toda hora. De qualquer forma, todos eles são questão de acreditar ou não em uma idealização;

Pois, conforme nos expomos à vida compreendemos que não mais vale a pena lutar pelo que não temos ou pelo que não tivemos – tudo se faz agora e a felicidade, o contentamento e a realização – ambos a mesma coisa*’ – é só questão de escolha pela realidade do ser, do espírito: quando a alma escolhe viver para si, para o seu aprendizado, para sua luz, tudo o mais se ilumina em torno dela!

Para tanto, cumpre esquecer os pontos de referencia antes criados sem consciência certa do processo da vida de Deus em nós!

Bem dissera o nosso amigo E., dirigente desta noite: a Vida é questão de fé e boa vontade! Porque nada, de fato, foge disso!

A Vida é realmente fé e boa vontade: é firmeza no processo de escolher o nosso eu real, que sente as coisas ao invés de torná-las preponderantes à noção de si mesmo, preponderantes ao nosso bem estar!

             Todos os mestres, desde muito, têm atentado para este campo – falam de abrir o coração à Verdade! De ser feliz, de fato!

         A infelicidade, não obstante, é um medo, uma recusa em ser feliz, em ousar o novo que permeia cada instante, cada aspecto, do coração da alma! E esta só se abre conforme vai vivenciando a verdade de si mesma – escolhendo a fé no que não sabe e contemplando a verdade de que não há pontos de referência para pormenorizar a realidade!

Alguns vem à Terra para ganhar Rios de Dinheiro e administrá-lo em nome de Deus – compreendendo não só que não são depositários dos mesmos, mas sim que estes ”Rios de Dinheiro” não são depositários de si (não é o Dinheiro que dita quem se é)! E, de fato, muitas vezes, a preocupação com o futuro do dinheiro, com planos longínquos e incertos da matéria, impossibilita toda uma gama de prosperidades em viver o ser que se é ! Para focar nesse “ser que se é “, nesse mundo de prosperidade,  faz-se necessário permanecer  firmado em saber aonde deverá depositar a sua alegria, a sua felicidade, a sua disposição!*

Fazendo isso, seguindo o coração, a verdade se manifesta plenamente e traz prosperidade em todas as áreas: a chamada prosperidade material (que é sempre secundária àquele que sabe ser feliz), a prosperidade emocional (de saber e gostar de lidar com pessoas) e a almejada prosperidade espiritual, que é um senso de contemplação da realidade, que cresce aos poucos, conforme a paciência (a ciência da paz) do ser se desenvolve – compreendendo que não é a meta que lhe dita a verdade/realidade, mas a verdade/realidade do ser que lhe determina a meta (e tudo é criado por simples anseios d’alma, benfazejos, pródigos e atentos ao mundo que a cerca, à vontade que vai se plasmando e às realidades que vão se mostrando)!

         De fato, a paz é a ciência da alma – paz nos relacionamentos significa escutar o outro, paz na matéria significa não se alienar pela progressão dos acontecimentos (mantendo a fé e a consciência do que deve ser feito no agora) e paz no espírito significa a consciência de que tudo neste mundo, no astral ou no infinito das consciências crísticas (também existentes em nós*¹) existe e se cria por sincronia com a realidade*¹²; e entender a Deus é saber que as causas de Sua vida vêm lhe  ensinar o desapego e os traumas do coração vêm lhes ensinar a criar liberdades ante ao que os prendiam a realidades pouco fluidas e de certa forma cegas ! É quando o coração age em conjunto com as inteligências do mundo/ da matéria (que não deixa espaço para a ilusão do desapego, a ilusão de liberdade), tornando assim a vida um ambiente de profundidade e de empreendedorismo com liberdade!

A vida lhe é amada – e isso vale para todos os que possam ler ou ouvir esta mensagem!

Se escolheres reconhecer este amor, a verdade se manifesta e você descobre-se um amante do mundo e da liberdade!

As novas gerações da terra terão que mudar o paradigma da existência – definitivamente (por dentro e por fora):

Não mais religiões vazias – onde hora ou outra percebemos as liberdades do perdão, do desapego e do amor ao próximo –, mas sim constantes inebriamentos pela vida, compreendendo que a existência é tão grande, e se existe Deus devemos obedecê-lo em sua vontade – amando a verdade de estar vivo e compreendendo que tudo fala de jogar-se para o infinito que Ele nos propõe!

Escutar a alma é amar, é escutar a Deus. E quem o Ama sabe que ele existe, porque sente que ele é cada ser e cada situação da realidade da matéria – de fato, a física quântica hoje compreende que o todo de Deus é tudo; qual, meus irmãos, a diferença básica entre matéria e energia?

– Nenhuma – todos  hoje o sabem!

Então porque ligar se perder uma fruta chamada framboesa, de condensações específicas de energia, e porque se revoltar se a energia material na forma de carro e de casa não vos visitou ainda – faz o possível, mas compreende que talvez não seja esta a sua missão**!

Compreende que a realidade da vida é uma só e, de resto, tudo vos será dado por acréscimo (tal como nos prometeu Jesus)!

E essa é a mais pura (ouçam bem: a mais pura) verdade da existência!

          Porque a Vida é uma só energia, um só Deus – e se aprendemos a dialogar-nos com Ele, constantemente, Ele nos permeia com Seu labor divino: o Amor Ágape liberto de exigências e a felicidade duradoura, prosperas em gama de atuações!**¹

         O homem tem pedido para crescer para fora, quando o “barato” mesmo é crescer para dentro!

“ O mais fácil (o para fora) na verdade é o mais difícil;

E o mais difícil, o mais fácil.

Compreende?”

Ouça Quem tem Ouvidos para ouvir!

                   JANNETTY.

MENSAGEM DE DOMINGO, 29/4/12 NUMERO 2:

Matrix é isso, é escolher aspectos em nome de realidades!

Tudo aquilo que determina o gosto ou a vontade em ser algo diferente de que és agora são simples preferências em imagens, em hábitos bitolados de preferências  – não digo que isto está errado, mas aponto para a realidade: de que se  vocês seguirem o caminho do coração a verdade se vos mostrará – mais clara e pródiga do que jamais imaginaram!

“ Agente fala mas vocês, em suas posições, não imaginam como é Grande, realmente Grande, esta verdade!

Rezo para que um dia todos possam contemplá-la!”.

M d Lu.

——————————-

Está bem por hoje!

Aproveitem o feriado!

Aproveitem o feriado para ver como a vida é bela e como tudo vos é contingente!

Usem a terça para contemplar o sol da manhã, que nasce puro e pleno na Explanada dos Ministérios, e àquele que se  x com x, x x x x  x da Eterna Escola de Deus – este que acorda por meio de vocês – sentirá as bênçãos claras dos esplendores de um mundo novo, onde a felicidade reinará mais plenamente, com novas e divinas energias!”.

Acolham isto com vontade – e com Verdade, com crença, na fé –, e contemplarão o que vos falo!

O mundo, hoje, é novo – e aquele que acolher  bem a graça em seu coração, entenderá a esplendorosa urgência do amor, que busca brotar em cada um, em  verdade, para dar a vida!

JA.

————————————————————————

Notas do Medium:

Frase oportuna: Querendo prevenir males de ordinário contingente, o homem prudente vive sempre em tortura, gozando menos do presente do que sofre no futuro.
— Marquês de Maricá

————————————————————————–

*º: Esta única verdade seria o desapego à existência que possibilita a escolha com clareza daquilo que nos faz feliz e a assertiva de dizer às coisas com que nos incomodaríamos: passem e mostrem a identificação que tenho convosco, farei o possível - compreendendo que muitas coisas existem além do que me mostram e , portanto, vocês, os fatos, não mais me incomodarão... "Faço o possível mas sou do impossível, o que está se fazendo". Esse desapego cria a clama que leva à clareza da luz viva que nos cerca: voltamos, nesses momentos - talvez longos momentos,de décadas  - a ser crianças, vemos beleza numa flor, virtuosismos num transeunte, graça no velho que nos ouve e sabedoria e completeza nos que nos cercam - sob a diferença de que, não sendo crianças,fisicamente, podemos nos orientar sem cair em emoções que nos degringolem a mente, emoções com fixações! Isso é possível e vivido por todo sábio, que como tal, vê sabedoria em todos!
*': Muitos confundem a realização dos objetos exteriores com o contentamento interno, no entanto, a realidade mostra-se sumamente diferente em todos os casos. Ambos vêm sempre de um tipo de construção onde se sobressai a capacidade da alma em acertar suas questões, pautando-se por alardes mais ou menos claros da consciencia, indicando o caminho das coisas. Algo que impede este caminho: as paixões, o apego à raciocínios!

*:  No seguinte vídeo, de um famoso ‘’ex monge zen’’ americano, é tratado de um tema muito conhecido dos terapeutas: o medo VERSUS o amor. Nele eu friso os minutos de 3min25s a 8min55s em que ele trata sobre focar no amor ser diferente de focar no erro – não se ‘’inebriar’’ pelo erro mas pelas possibilidades de acerto, vislumbrar o fluxo e o propósito de amor da intenção que está por traz do que aparece errado!  É nesta historia que o medo entra – temos muitas vezes um medo instintivo de ousar o novo, de ”sair dessa atmosfera de expiações” e ver as coisa com amor… Enfim, o vídeo explica bem essa dimensão profunda da individuação da alma, rumo ao encontro consigo mesma, e explica muito bem sobre o processo da meditação. Eis o link:http://dharmalog.com/2012/04/25/falamos-de-amor-e-de-sermos-todos-um-mas-continuamos-produzindo-medo-por-adyashanti-video/?utm_source=Dharmalog+List&utm_campaign=be2dad1fae-RSS_EMAIL_CAMPAIGN&utm_medium=email

*¹: Este assunto foi tratado em mensagem anterior, baseando-se em escritos diversos, cuja principal fonte foi o livro de Ramatís (médium,Hercílio Maes): Evangelho a Luz do Cosmos, no qual o autor trata de questões, super abrangentes, sobre a imortalidade do espírito e a jornada da alma após a etapa humana. Esse tema específico, sobre a ”mediunidade” de grandes almas ou a encarnação, o processo de apossar-se de um corpo mais denso do que o de identificação atual da alma, de seres arcangélicos – que seriam almas com atividade posterior aos angelicais como Jesus, que aqui encarnou em corpo humano. Os arcanjos ou seres Crísticos seriam inteligencias a orientar o progresso geral de todos os seres, distribuindo energias e disponibilizando pensamentos aos instrutores do orbe, e estes, adiante,em cadeia! Algumas culturas antigas os identificavam como o Logos Solar, o Sol – sendo o Espírito Santo ou o Cristo frequentemente referido por Jesus O Cristo como algo diferenciaod dele, ou algo como Brahma dos hindus/yogues.

*¹²: UMA PRECE
Ao despertar, enquanto você abre os olhos e se espreguiça na cama, seja para o Senhor da vida o seu primeiro
pensamento.
Meditando em tantas coisas que logo mais lhe tomarão todas as horas do dia, sem lhe deixar tempo para
telefonar para o amigo que há muito não vê, ou almoçar com a família, eleve a Deus o seu pensamento e lhe diga:
Senhor, acalma meu passo. Desacelera as batidas do meu  coração, acalmando minha mente.
Diminui meu ritmo apressado com a visão da eternidade do tempo. Em meio às confusões do dia- a- dia, dá- me a
tranquilidade das montanhas.
Retira a tensão dos meus músculos e nervos com a música suave dos rios de águas constantes que vivem em
minhas lembranças.
Ajuda- me a conhecer o poder mágico e reparador do sono. Ajuda- me a me preparar bem para o repouso de
todas as noites, lembrando- me sempre que enquanto dorme meu corpo, eu, espírito, adentrarei o verdadeiro mundo
e irei aos lugares que a minha mente elegeu como meu tesouro.
Ensina- me a arte de tirar pequenas férias: reduzir o meu ritmo para contemplar uma flor, papear com um amigo,
afagar uma criança, ler um poema, ouvir uma música preferida.
Ensina- me a ter olhos de ver a beleza do céu azul, um raio de sol, a chuva da tarde, o cair da noite, com seu
manto aveludado bordado de estrelas.

Acalma meu passo, Senhor, para que eu possa perceber no meio do incessante labor cotidiano dos ruídos, lutas,
alegrias, cansaços ou desalentos, a tua presença constante no meu coração.
Acalma meu passo, Senhor, para que eu possa entoar o cântico da esperança, sorrir para o meu próximo e calar-me
para escutar a tua voz.
Acalma meu passo, Senhor, e inspira- me a enterrar minhas raízes no solo dos valores duradouros da vida, para
que eu possa crescer até às estrelas do meu destino maior.
Obrigado, Senhor, pelo dia de hoje, pela família que me deste, pelo meu trabalho e, sobretudo, pela tua presença
em minha vida.
Tudo isto te peço, Senhor, pois se estás comigo, em nenhum lugar me sentirei triste, porque, apesar da tragédia
diária, tu enches de alegria o universo.
Se estás comigo, não tenho medo de nada, nem de ninguém, porque nada posso perder e todas as forças do
cosmos são impotentes para tirar – me o que me pertence, na qualidade de filho de Deus: o teu amor.
Se estás comigo, tudo executarei em teu nome. Enfim, em nenhum lugar me sentirei estranho, deslocado, porque
estás em todas as regiões, na mais suave de todas as paisagens, no limite indeciso de todos os horizontes.

A brisa refrescante que arrefece o calor dos dias de verão somente nos beneficiará se a respirarmos
compassadamente.
Somente poderemos sentir a chuva benfazeja que se derrama sobre larga faixa terrestre, trazendo a fertilidade
ao chão e alimentando as fontes, se alongarmos as mãos para recolher o líquido precioso.
Também as bênçãos de Deus se espelham sobre todas as criaturas, porém, para que as possamos sentir,
dulcificando- nos as vidas, é preciso que nos unamos, em sintonia feliz, a essas faixas de luz.
E esta sintonia se chama oração.
(Equipe de Redação do Momento Espírita, a partir de mensagem anônima, do texto “Se amas a Deus” de autoria de
Amado Rervo, inserido na obra Um presente especial de Roger Patrón Luján e do cap. 3 da obra Rosângela, Raul
Teixeira, Ed. Fráter)

**¹: Sorrindo… Sorrindo… Sorrindo eu quero estar…
Sorrindo… Sorrindo… Sorrindo para sempre amar…

Na presença do meu mestre eu me ponho a louvar…
Com meu canto de guerreiro que faz tudo clarear…

Passarinho… Passarinho… que se põe sempre a cantar…
Que me mostra como é lindo o poder de saber voar…

Na jornada dessa vida estou sempre a trabalhar…
Aprendendo o que eu não sabia… e o principal é saber amar..

Quando o sinto o dom divino vejo o mundo a girar…
Com o voo de passarinho percebo o tempo a ensinar…

nas cores vivas do arco-íris morada de Todo Poder…
vem o ensino do dom divino aprender a dar sem se perder…

De onde vens? Pra onde vais? … caminho livre estou a afirmar…
na presença do Cristo Íntimo que vem nos dar este natal…

(Sri Prem Baba, num festival anual da Índia, em que é proibido usar roupas bonitas ou novas – sob pena de receber uma avalanche de cores ante mesmo do início das brincadeiras (onde participam pessoas de todas as idades!))

Recomendar palestra de Yogananda sobre optimismo: mundo.doc

Recomendar: a Pratica da Presença de Deus ,do brother Lourenço.

Leiam a seguinte opinião de um senhor, monge Zen, sobre como a preocupação com pequenas coisas é uma perda de tempo (se percebermos o todo do momento, bem como a história de nossas vidas, “veremos que as bênçãos são bem mais numerosas do que as ‘’decepções’’):

Dios santo!!!!!!!!!Que alegria!!!

A vida é como um piquenique numa tarde de domingo, ela não dura muito tempo. Só …olhar o sol, sentir o perfume das flores ou respirar o ar puro já é uma dádiva. Mas se tudo o que fazemos é ficar discutindo onde pôr a toalha, quem vai sentar em que canto, quem vai ficar com a maçã ou com a laranja…, que desperdício! Mais cedo ou mais tarde o tempo fecha, a tarde cai e o piquenique acaba. E tudo o que fizemos foi ficar discutindo em implicando uns com os outros. Pense em tudo o que se perdeu.
(Chagdud Tulku Rinpoche)

**: Achei oportuno citar um vídeo em inglês, legendado, com a descrição do yogue Yogananda sobre o Samadhi que ele viveu, no qual ele relata a ‘’suprema realidade eterna’’ ante as relatividades dos sentidos e dos acontecimentos passageiros do mundo material – relata como é mágico este momento e como a ilusão desvanece e o torna uno e identificado com a realidade crescente de Deus: http://www.youtube.com/watch?v=LBXyMPB4PRo  . para quem quiser entender melhor estas experiências , que muitos vivem, podem ler os seguintes livros: a autobiografia de um yogue, que é extremamente recomendado para quem quiser entender mais afundo a dimensão espiritual da humanidade,  e o livro “ Antologia do Êxtase” do psicólogo Pierre Weill que relata estados profundos de consciência expandida, matando muitos questionamentos infrutíferas quanto ao tema…. Para os meditadores, que gostam de meditar e querem desenvolver mais esta possibilidade de contatar mais facilmente a consciência, a profunda ‘vozinha’ que silenciosamente está a nos falar e direcionar, aviso que terá um retiro na Self-Realization Felowship – organzação fundada por paramahansa yoganada, e que se dedica a meditação e a divulação dos ensinamentos deste Yogue atuorealizado para a consciência de Deus no presente do mundo em que vivemos! Pra saber mais acessem o endereço: http://www.retiroyogananda.com

Segue uma pequena estória, de autor espiritual desconhecido, sobre a ”crença em Deus”, que a meu ver convence muitos materialistas:

Para ilustrar isso, nos foi contada uma estória.

Ao encontrar com uma pessoa bastante alegre – que todos os dias fica assim – certo cidadão, amigo de poucos meses, lhe perguntou:

-Porque você é tão alegre?

– O moço responde: Por causa de Deus!

O cidadão, então perplexo, lhe pergunta:

– Como assim por causa de Deus? Como pode afirmar isso?

O moço responde:

– Ora, são verdades simples da vida. Basta ter o olhar acurado e tu podes ver!

Intrigado, o rapaz questiona:

– Como se pode provar Deus, se sua existência é totalmente subjetiva?

O moço então, relutante, profere a seguinte preleção:

– Veja bem, está questão a qual se refere não procede.

Do ponto de vista científico está errada!

Deus para mim é uma experiência e é assim que Ele existe para mim!

Basta olhar à sua volta para constatar!

Mas você não olha, não é mesmo: Tudo o que vê torna-se uma trama de algo mais além do visto!

Eu digo que Deus é uma experiência cientifica, porque é como observar a uma flor…

Ao olhá-la você percebe o quão grande ela é!

O costume das pessoas ,porém, é não olhar a flor, mas focar na representação que se tem dela..

Esta verdade é tão simples quanto comer. É algo que você faz todo dia, mas não percebe a propriedade da experiência:

Você julga: eis uma comida boa, ou : eis uma comida ruim, mas não percebe que todos estes são valores subjetivos – são mapas mentais!

Da mesma forma, rapaz, é a sua questão para com minha ‘’crença’’ em Deus!

De fato eu sou um místico – na acepção clara do termo!

Mas o que diferencia a minha mística da sua crença na descrença em Deus?

È uma diferença muito simples, praticamente impossível de se imaginar:

Nesse mundo, da cultura humana, quase tudo é tido como representativo. Você me pergunta sobre Deus e como minha afirmação de ele ser a causa da minha alegria está incorreta ou parece inverídica.  Entretanto, já parou para pensar a relevância desta questão – se Deus existe ou não?

Não precisa me responder! A resposta é: nenhuma!

Sim,porque para ser crente, neste caso, não é preciso crer , mas experienciar!!!

Voltando ao exemplo da flor – se você a observa com clareza ,vera que ela não é só uma flor, mas uma entidade viva. E o interessante disso não são somente as suas nuances, que você passa a perceber devido a uma observação mais paciente, mais acurada, mas sim as vibrações da mesma que lhe começam a ser percebidas!

E é então que entra o mistério da vida!

Qual relevância do contexto da experiência, o mapa mental que você cria diante da própria experiência?

Ai, eu, um místico por natureza (alias, todos nos o somos, mas ainda não descobrimos), lhe respondo:

A sua crença é subjetiva. Qual a veracidade de tais alegações?

– è porque elas não existem, nunca existiram.

E crer em Deus na forma como eu creio, ater-se à mística, é restaurar o âmbito da vida – restaurar esta estória de tomar a carroça pelos bois: eu boto a realidade aonde ela está e a deixo, nesta hora, clara para você!

Agora, se você vai transformar ou não isso em crença , aí , realmente, faz parte do seu problema!

Eu não vou dobrar a minha energia, a minha percepção da vibração cósmica , assim como em todo o espaço é, por causa de você. Eu me atenho ao que percebo, mas e você????

Resumindo:o mundo representativo da flor não é a própria flor, e se você se ater a mesma, perceberá adentrarem em ti dimensões astrais, dimensões superiores à 3ª, as quais você não se acostumara, então poderá vir as crenças, as constatações: aonde estou adentrado é real ou irreal?

Nesse momento, perdes a natureza da realidade, porque voltas ao âmbito da crença!

Então, crer ou descrer não é a questão do místico!

Fica a você concluir qual dos dois crê ou descrê: o místico ou o materialista (o materialismo, uma ideologia, a mística, uma constatação)….

—————————————-

Acrescento 1 link para entrevista com um espiritualista sobre essa nova consciência do amor, da criatividade, que temos que adentrar na era vindoura:

E: De forma bem simples Horacio Frazão explica questões profundas a respeito da consciência e da mente humana, as quais foram e são  constantemente intuídas pelos mais variados mecanismos de análise e de critica social – deixando claro que, no fundo, sempre estivemos a buscar um certo mecanismo de percepção mais pura, mais coerente, da realidade; e toda crítica, por menos que pareça, está centrada na falta da completude advinda deste mecanismo natural do ser humano (que se manifesta mais plenamente de acordo com o grau de alegria, contentamento e percepção/sabedoria manifestados)…..  No site cogytus, existem textos a respeito das FREQUÊNCIAS CEREBRAIS , AS MUDANÇAS QUÍMICAS e etc – na guia Neurociências – ,e outros tantos modos de auferir esta consciência tão primordial e ao mesmo tempo tão pródiga,elevada!

Pequena entrevista esclarecedora a respeito das noções da consciência nas perspectivas quântica, psicológica e comtemplativa:

http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=21521

Artigo básico sobre a logica do existir e a secundaria logica cartesiana.

http://www.cognytus.com.br/f_vida_art1.asp

POSTAGEM RECOMENDADA:

O Sonho Consciente e o Esquecimento de Si

https://aprendizdemensageiro.wordpress.com/2012/04/14/sonhoconscienteeesquecimentodesi/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s