O Amor – txt 2

O AMOR

O Amor ,como já define a doutrina espírita no evangelho segundo o espiritismo,” substitui a personalidade pela fusão dos seres” .Está exatamente nessas palavras e,para que compreendamos que todos fazem parte da unidade de um só ser,devemos estar atentos a este aspecto.

O Amor,como já definiu uma alma amiga – aqui presente também – é ”um sentimento que sentimos sempre que compreendemos que as nossas experiências e todos os aspectos observáveis,visíveis ou invisíveis, são parte refletora e subjacente à nossa própria consciência;

”O Amor é ,enfim, um sentimento todo envolvente, que nos confere algo de mágico à existência, incitando-nos a compreendermos todos os seres como parte ”refletora” idêntica a nós.”

E aí é que entra a tal da felicidade, que ,neste mundo,principalmente, só é compreendida por aquele que ama!”

Aquele que ama observa os tecidos infinitos e hiperdimensionais do tempo de sua existência e os usa para aprender novos aspectos de sua personalidade,e,conforme se aprofunda, percebe Deus ( o Todo existente) presente em cada momentum consciencial, a criar e a emanar energias criadores, que, nos atrevemos a dizer, ao mesmo tempo que são simples, são surpreendentes – jamais complexas , pois aquele que se compreende,compreende o Amor,e quem compreende o Amor,compreende a Criatividade(de Deus) sempre presente;

Nós,habitantes da Terra, acostumados ao intelecto, podemos perceber a criatividade de Deus pela diversidade e complexidade de formas de vida e processos materiais, que se interagem mutuamente, num todo harmonioso – porque autossustentável!

Também sabemos isto pela mutação(e evolução) subjacente à matéria, ao mundo das formas e na compreensão causal de que Deus existe* – porque ” nada surge do nada”,ou,explicando melhor, que toda causa tem um efeito, e , se pegarmos uma sucessão de causas, nos remontando à primeira da cadeia de um universo material, percebemos que à primeira causa só poderemos atribuir-lhe inteligência, cuja essência é a criatividade.

Esta é realmente a compreensão material mais comum, perfeitamente plausível e verificável(pela lógica).Mas,existe também, a compreensão espiritual, ou constatação de Deus – de sua existência – que só vêm pelo desenvolvimento da sensibilidade,esta que culmina sempre no Amor( o sentimento por excelência), mas que remonta desde a época que começamos a evolução pelo magnetismo das pedras; pela interação das bactérias, pela afetabilidade sensível das plantas,pelos instintos e linques animas; e pelo pensar sensacional*¹do humano. Até que,enfim, chegue ao anjo ,que seria a compreensão pura do Amor.

Foi pedido também que acrescentássemos o principal aspecto do amar: ” A Sua Eterna Novidade em Ver o Mundo”, o seu sentimento sempre novo e sempre interessando em fruir, apaixonadamente, por todos os caminhos e dimensões conscienciais do universo; o Amor nada nega, tudo faz e tudo recebe, nunca ressaltando imposições ou impedimentos, mas, criando e impressionando as consciências que encontra, com uma compreensão mágica do ”Possível” ,uma compreensão de possibilidade pura – que emana do amor e que vai ao encontro dos seres da criação,Impelindo-os a compreenderem-se como perfeitos/ilimitados, mesmo que seja por um momento.

O Amor ,em essência, é Cura para aqueles que sofrem e compreensão para os que sabem”. Essa compreensão espiritual do Amor é sim correspondente à compreensão do Todo;

*: Deus é causa primaria e inteligente(vide ”livro dos espíritos”).

*¹: pensar sensacional é um termo que criei para deixar claro que o pensamento comum ao homem é aquele que traz uma racionalidade submetida às sensações materiais, e , portanto , restritas; e ,a partir delas, o humano cria a sua compreensão/visão do mundo sem necessariamente compreendê-lo de fato em sua magnanimidade e em suas impressões sensibilíssimas do sentimento e da emanação criativa da energia do Todo que vêm do Cosmos e penetra-lhe no perispírito, ajudando-o a amar-se e a compreender-se como ser universal e participante de todo o envolvimento que o Universo nos incita a criar dentro de nós mesmos!

———————————————————————————

pagina2

Como já vos tenho falado,em outros textos,as almas elevadas são todas-presentes nas regiões em que são incumbidas de administrar. Tal como Jesus,que se emana a todos os seres da Terra, e se apercebe de todas as consciências que , hoje, fundem-se com ele por por desígnios de um Ser Maior’.

Queria vos deixar impresso,antes de tudo, que todos temos esse amor querendo ,desesperadamente, brotar, em compreensão infinita,nos momentos conscienciais que vivemos nesta Terra.

Mas nós, com nossa caducação, impedimos este amor de se manifestar, devido à nossas crenças pessoais(e culturais) enganosas, que desviam a nossa energia para coisas que não nos trazem a nossa autocompreensão e o nosso autodesenvolvimento.

De forma que o amor é,de fato,autonomia pura, ou seja, quanto mais o ser têm consciência de si mesmo, de suas possibilidades crescentes, de suas limitações mentais e de sua práxis psicológica, mais dono de si ele se tona e , portanto, mais amoroso.

O Amor é de fato a sublimação da inteligência, pelo controle da racionalidade.

O amor, na terra, é definido, entre outras coisas, como inteligência social, no entanto, ele é inteligência relacional. Com isso eu quero dizer que ele não trata tão somente dos aspectos da relação com o outro, com a sociedade, mas ,antes de tudo, ele é a compreensão da relação que a individualidade têm com a criação toda.

De forma que essa inteligência relacional é antes de tudo pouco específica, mas muito abrangente. Pois o amor é percepção de vários aspectos simultaneamente ; a intuição + seus apensamentos + as mutações criativas das consciências alheias e do meio mais ou menos material em que se está inserido;

É a sublimação das especificidades cartesiana, que alude o meio material por meio de representações(sobretudo mentais),a partir das quais o homem passa a orientar-se para que possa sentir seguro e dono de si;

Só que , na verdade, o homem muito racional,ou não existe ou iludi a si mesmo, porque a inteligência pressupõe domínio próprio e criatividade,e , para ser inteligente, devemos sublimarmo-nos em relação aos conceitos e compreensões que já adquirimos, para observar as novas, que são emanadas constantemente, do infinito, para a nossa consciência!

Mensagem ditada por Matheus e Lucius,na reunião de desenvolvimento mediúnico,do dia 4 de setembro de 2011.

 

 

AMOR, DIVINO AMOR:

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s