Mensagem 18/12/11 Dom

DOMINGO 18 DE DEZEMBRO DE 2011.

CONTÊM DUAS MENSAGENS

MENSAGEM 1:

Olá meus divinos amigos!

Que deus nos abençoe!

A espiritualidade sempre nos vem, com seus dons e suas dádivas, quando o medianeiro está pronto!

A mediunidade, meus irmãos, é tarefa sublime, que, na verdade, compete a todo o espírito em evolução;

Nos planos maiores, nos reinos do espírito, a mediunidade corresponde à disposição do espírito de tornar-se medianeiro das energias crísticas! E em qualquer plano que estejamos sempre que disponibilizamos energias mais sublimes, mais fluidas, em comparação com o a energia do ambiente, nós estamos servindo de medianeiros a uma força maior!

O espírito é uma força, que reluz em todos os cantos do universo. E a totalidade de tudo é o que forma Deus, que por sua vez é um aspecto incognoscível por inteiro, porque ainda não chegamos a decifrar-lhe o mistério!

Fazemos parte desta totalidade e nada no universo vibra ou ocorre sem ter um espírito por detrás, não importando a sua magnitude! Do mesmo modo que, na Terra, existem diversos graus de evolução, desde bactérias até homens e anjos, há também espíritos muito mais abrangentes, que regem desde um agrupamento animal até a sublime tarefa de cuidar de todo o organismo terrestre;

O grau desses espíritos se expressa pela sua criatividade: quanto mais a deixam fluir, a seres menores, mais estarão de acordo com o que lhes cabe quanto à proximidade de Deus!

No campo do espírito, o que nos cabe é renovar sempre; é a renovação o fator- mor da espiritualidade; ela está aí, não importa qual nome tenha, a nos amparar e “falar”, no fundo de nossa alma, que “há algo de melhor em nós” e que podemos aprender mais para agir diferente!

Tudo na terra é uma questão de apercebimento. O Amor só vem quando aprendemos a usar o nosso potencial energético de forma criativa e útil – quanto mais nos abrimos para a isto, mais as energias se tornam sublimes, constantes e intensas em nós!

A energia se caracteriza, naturalmente, por ser fluida; e só se torna mais espessa quando lhe impregnamos certo fator obsessivo, de fixação por determinados objetos mentais, sejam eles sentimentos ou pensamentos. Quanto mais nos prendemos às coisas, mais elas não fluem e não apreendemos algo de melhor e novo, que nos traga jovialidade e vigor na existência

E tudo é isso: depende do seu grau de disposição em aprender, se ligando a algo diferente de você, do que sabes e do que tens como referência!

Jesus é sublimidade, por que prega como referência o amor e a fluidez, pela aceitação, pela observação mais aprimorada e pelo perdão!

Ancorem-se a Jesus, ele está aqui, e sempre estará para todo o sempre! E quando não estiver, é porque estão os Seus mensageiros – basta que nos disponhamos a senti-los!

Tudo na vida é questão de disposição;

Não existe habilidade especial, nem dom, que possa banir esta lei: nós tudo podemos. Apenas devemos observar se esse “poder” está bem orientado para o fortalecimento do ser no bem estar! É só uma questão de observação!

Aos meus alunos – aqueles aos quais me disponho a intuir nesta Terra – costumo considerar que o grau de seus sofrimentos é exatamente o grau da falta de abertura que eles têm perante a vida; não importam as situações exteriores, antes de tudo devemos deixar fluir; não permanecendo em descabidas idealizações quanto a aparentes desventuras*!

Não sabemos que tudo em deus tem um propósito?

Para que oferecer objeções e pareceres sem uma devida utilidade?

Há uma grande diferença entre o mundo de felicidade que idealizamos e o mundo de verdade em que vivemos!

Jesus e quaisquer outros mestres somente apontam para esta diferença!

Agora, pode até parecer que o ideal e o desejo constituem-se em pareceres reais, que nos conduzirão a felicidade se forem concretizados ou usados como um padrão de referência!

Mas, irmãos, além destes sonhos do espírito há um mundo real onde cumpre muito que fazer e realizar!

Peço e rogo a todos, ao mesmo tempo em que rogo a mim: procurem aprender, estejam dispostos e não idealizem tanto o mundo.

“A vivência vem antes das idéias”; podemos observar isso pelo mundo em que vivemos, onde algo só muda, só melhora e só se realiza quando botamos todo esse nosso potencial em prática – a prática é a base de tudo!

Falaremos algo agora, apenas para que saibam de nossas limitações, mas procurem não vos prender ante as idealizações das mesmas;

– Vocês se lembram daquela vez que agiram “sem pensar” quando um irmão vos tratou mal, não os entenderam de primeira, ou não se portou como deveria?

– Pois bem, isso não ocorreu; é triste para você saber que nada disso existe; as contrariedades fazem parte das ilusões humanas, que idealizam o mundo em formas padronizadas de ser e de parecer (de manifestar-se), acabando por estar sempre em certa discordância com a Vida!

Jesus dizia: eu vim para que vocês tenham Vida! A Vida eterna!

E qual é a característica da vida?

– É a fluidez, é a característica orgânica e adaptativa. Deus vos fez maleáveis, para que mais rápido aprendam as diferentes lições deste amoroso  universo!

Mas, todos nós, por falta de confiança e por apego mesmo (porque temos medo do novo), escolhemos padronizar a vida e nos agarrar aos pontos de referência que criamos ou adotamos para nós, mas que nem sempre são reais*²;

Tal é o egoísmo: “criar uma realidade própria, que lhe turve a visão do real”; tudo por que tens medo de Deus, dos Seus sentimentos e da Sua criatividade.

Todo dia seres vos tocam para vos induzir ao erro ou a liberdade; e tudo é uma questão de escolha; o erro geralmente é mais fácil, porque se trata de um condicionamento de ações passadas, cuja origem é o instinto da animalidade;

Já no “acerto”, que também não pode ser definido claramente, nós escolhemos um aspecto mais autônomo e mais arriscado diante de nossa necessidade de ter controle!

“Padronizamos o mundo para ter um controle mitológico sobre ele.”

“Julgamos o outro, o negamos, nos enraivecemos ou nos apegamos, justamente para não ter que encarar nossas dimensões internas – por que todo aspecto da exterioridade é uma forma de insight para o nosso interior;”

“Aquilo que não podemos controlar (o outro e a vida) nos levam a renunciar aos nossos saberes ansiosos e predeterminados, para alcançar um nível mais dinâmico de ser e de fazer;”

“A vida possui dois aspectos: ser e fazer *³; um precede o outro; e ao realizar uma ação devemos saber buscar entender as nossas motivações – prestando atenção se nossas contribuições são um tanto mais fluidas ou mais renovadoras em relação ao momento!”

A abertura é tudo; tenhamos fé, façamos a nossa parte, que Deus, certamente, fará a dele de uma forma melhor do que imaginamos!

A vida de Deus é sempre melhor do que aquela que esperamos;

Agora, se ficamos só esperando e imaginando, como é que vamos conhecer a verdade, testando o que “sabemos” em nossos mundos internos?

Deus nos abençoe!

Ditado por: Geraldo e Ronien.

—————-Notas Do Médium————————————-

*Citamos um vídeo de um mestre Zen tentando explicar a diferença entre ver e pensar ver: http://www.youtube.com/watch?v=WXReQ9JgZy0&feature=related  (parece que ele está bem alegre!)

Segue outro link com passagens de um mestre zen q viveu em 1600, sobre ‘’permanecer no estado original da mente’’, sem se deixar levar pelas aparências:

https://skydrive.live.com/redir.aspx?cid=e2b80d23e6cfa30b&resid=E2B80D23E6CFA30B!789&parid=E2B80D23E6CFA30B!173

*²: mesmo sendo reais acabam impedindo a nossa percepção de enxergar novas nuances da vida!(Citar psicografia q trata disso).

 

*³: poderíamos dizer também: essência e manifestação.

VIDEOS RELACIONADOS:

1- http://www.youtube.com/watch?v=DOuMYJDNc-8&feature=related

2-  Prestem atenção na letra da música que ele cantará: http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&v=yEejXz28lo8&NR=1

3- Para entrar em devoção: http://www.youtube.com/watch?v=NmEgGmp7wrk

——————————————//————————————————————————-//———

 

 

MENSAGEM 2 NA PROXIMA PAGINA.

 

MENSAGEM 2:

Irmãos, a preciosidade deste momento é indefinida;

Devemos procurar nos orientar por coisas maiores, se quisermos ser felizes e ajudar a humanidade!

Deus quer que os homens percebam a utilidade dos seus compromissos com o ambiente terrestre, e a necessária renovação do planeta, e de seus sistemas de vida, pelos moldes evangélicos!

Façamos a nossa parte e procuremos realizar toda esta sublime moral que nos foi concedida pela angelitude de Jesus: são sublimes preceitos que refletem a aurora de um mundo ditoso, que deve ser vivido interna e externamente!

É necessário que o homem sempre se observe para saber qual dos dois ele está negando!

 

A urgência da espiritualidade deve manifestar-se numa livre associação do interior ao exterior; para que nenhum aspecto seja esquecido, e para que não caiamos em debilidades com máscaras espirituais, ao achar que estamos tranqüilos, porque “já fizemos nossa parte” e “não buscamos fazer o mal”!

É sempre necessário estar atento para que não escapemos ante as possibilidades de fazer o bem; e para que, também, não busquemos fazer o bem de forma inútil e pouco prática!

Diante de dificuldades na conciliação do que falamos, busque a Deus, ore, e Ele vos responderá no silêncio de seus corações, com novas disposições e clarezas!

Deus abençoe a todos. Amém!

Ditado por: Geraldo de Albuquerque.

 

———————————-

nt md:

http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=30305

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s