Hinduísmo e Yoga: séculos a frente da ciência!

Hinduísmo e Yoga: séculos a frente da ciência!

Alguns dos preceitos das tradições da Yoga e do Hinduímo,têm corroborado com os avanços da ciência,em especial da física e da astronomia, a partir do século XX.

Nos dias de hoje,é bem sabido que o Universo está em expansão,algo postulado a partir das teorias de Einstein e comprovado por observações astronômicas.Mas existe também  a teoria,não tão discordante da primeira,de que o Universo se expande e ,depois,se contrai,num movimento contínuo e eterno,proposta pelo matemático russo Alexander Friedman(um dos pais das teorias do Big Bang ),1922, a partir das equações de campo de Einstein.

Do mesmo modo os velhos mestres hindus do oriente vêm ensinando há mais de 4.000 anos acerca do “Universo Pulsante’’,através dos Manvataras, da Grande Respiração ou Pulsação de Brahma, ou Deus, cuja diástole e sístole cósmicas correspondem exatamente à concepção de um Universo em expansão e contração!”.

No campo da física moderna,podemos encontrar também notáveis semelhanças quanto às teorias que postulam que matéria é energia condensada e as teorias dos yogues e hindus a respeito da matéria,pois já postulavam há muitos séculos a existência de partículas elementares para a matéria,e sua correspondência com a energia.

Um dos seis sistemas da filosofia hindu é o Vaisesika,ra raiz sânscrita visesas, “individualidade atômica”,e o seu mais importante comentarista ,Kanada, “o comedor de átomos”, viveu há cerca de 2800 anos.Nessa filosofia existia o termo sânscrito anus ,que traduz-se como ‘átomo’,na posterior acepção literal grega de ‘não-cortado’ ou indivisível.

Outras explanações científicas dos tratados Vaisesika,da era anterior a Cristo,incluem: (1)o movimento das agulhas em direção aos imãs; (2) a circulação da água nas plantas;(3) o calor solar como causa de todas as outras formas de calor;(4) o calor como causa da alteração molecular; (5) a lei da gravidade, causada pela propriedade, inerente aos átomos terrestres,da força de atração,causa da queda dos corpos;(6)a natureza cinética de toda energia;toda causa sempre tem origem no consumo de energia ou na redistribuição de movimento;(7)dissolução universal por meio da desintegração dos átomos;(8) a radiação do calor e dos raios luminosos, partículas infinitamente pequenas,preciptando-se em todas as direções com inconcebível velocidade(a moderna teoria dos ‘raios cósmicos’);(9) a relatividade do tempo e do espaço.

O método principal dessas antigas tradições foi,realmente,a meditação.A partir dela,alegam suas escrituras,puderam observar o universo em suas íntimas e até microscópicas variáveis.Pois sua prática regular,de acordo com as escrituras védicas e búdicas, levam ao desenvolvimento de capacidades extrasensorias, inerentes a estados incomuns de consciência, profundos e constantes.

A questão que fica é: como eles lograram alguns desses postulados,só considerados pelo homem científico da sociedade moderna a partir do século XX?

 

Fontes:  Autobiografia de Um Yogue – Paramahansa Yogananda.

O Sublime Peregrino – Ramatís.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s