“Autoconhecimento” 4/12/11 Dom

Domingo 4 de dezembro de 2011.

 

“Autoconhecimento é quando você reconhece aquilo que, dentro de você, quer mudar…

 

E quando você dá vazão a isso, uma parte de você vai embora e outra vem – quem permanece nesse processo, constantemente, verdadeiramente se autoconhece!”

A precipitação é das piores coisas que existem no homem;

Queremos porque queremos ser melhores do que somos hoje, através de planejamentos para o futuro e de noções do que fomos no passado;

A prática espírita da caridade contribui sobremaneira para o esquecimento de si mesmo, tanto que acaba gerando uma abertura, um desvelamento, para as possibilidades que temos de mudança.

A mudança é possibilitada pela compreensão do autoconhecimento; e este implica, de início, na compreensão das necessidades do ser, pautada em estudos sobre as situações gerais dos seres, que fazem o espírito intuir a própria situação – do que padece e o que deve fazer para alterar seu quadro para melhor.

O esclarecimento, como disse, é um passo gradual, entretanto, a mudança propriamente dita constitui-se de flashes espontâneos de criatividade e de embate psicológico diante das dificuldades; onde o que determinará o progresso e a ascensão será a firme determinação do espírito em escolher os caminhos da lógica e do bem-estar nos desígnios do Senhor;

Neste ponto temos que ressaltar que a lógica, quando bem compreendida, leva a um desvelamento criativo, que consiste na possibilidade de escolha diante do que já se está, pela história do ser, condicionado a fazer; é o famoso ato de, em sua mente, escolher o que trará maior possibilidade de crescimento, liberdade e felicidade;

Para tanto, novamente ressaltamos que o estudo das causas e conseqüências dos atos psicológicos, e conseqüentes ações materiais, para o espírito, é de extremo valor para o vindouro, se é que podemos afirmar, “salto quântico”, que virá após este período de reflexões!

Este salto é o da fé e da mudança de vibração que todos devemos empreender algum dia; e, nisso, quando se resolve um problema, ele deixa de existir; pois os elos espirituais que ligam os espíritos a situações passadas, na verdade, são “laços que não são”; eles não existem a não ser no condicionamento dos seres envolvidos;

Gasparetto, um famoso espírita do Brasil, já afirmou que, nos planos espirituais, o espírito, no fundo, tem possibilidades infinitas; o avanço para os planos divinos dependerá tão somente da sua abertura e de sua escolha em recolher de si mesmo aquelas cargas do passado, dos elos mentais que não existem de fato!

Esse é o grande passo para se enxergar a vida; observá-la para além de seus preceitos e de seus modos de ser premeditados a partir de condicionamentos passados. Jesus já dizia:

“Aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á”, porque “Aquele que esquecer si mesmo, e me seguir, por amor a mim, terá a Vida Eterna!”

Sigam  Jesus meus irmãos, escolham os passos da luz, da compreensão, da clareza no autoconhecimento.

A terra é uma escola de autoconhecimento, assim como o universo. Na terra, o ser se conhece a partir das possibilidades materiais, do que pode fazer e do que não deve fazer; e, após certo tempo, compreende as ilusões que criou diante da necessidade de proteger-se, (necessidade do instinto animal), diante das ilusões da vida: porque tinha medo de sofrer e medo de mudar;

Um dia ele descobre que o sofrimento vem de sua falta de percepção da vida, de sua padronização do viver em necessidades mentais condicionadas, em momento fixos que devem ser almejados – isso cria uma noção de confusão e de busca constante, que só é libertada pela compreensão do autoconhecimento e conseqüente sublimação das energias para modos de ser mais receptivos, menos condicionados e mais sensíveis – ;aos poucos ele vai dos sentidos materiais às sensações emocionais, e destas aos sentimentos, e estes últimos advêm da compreensão da eternidade existente, em si e no mundo, que, se bem compreendida, está sempre propondo um aprendizado constante!

Ninguém sabe a respeito da vida; todo conhecimento necessita ser reconstruído constantemente pela revisitação da realidade que se vive;

Nesse ponto os desejos são fatores preponderantes que impedem a alma de ser feliz: porque a felicidade, como nos disse o espírito Miramez na mensagem de hoje (O Médium e o Espiritismo), vem quando o espírito toma partido definitivo da caridade em seu coração, desapegado-se dos usos, e acabando por compreender as luzes da realidade material que o cerca!

“Aquele que esquece do que quer acaba compreendendo o que busca”

“E, nesse desencontro com os desejos do que queria, descobre os momentos lhe dizendo que o que quer deve ser construído em cada pequeno momento, ação e ato”

“Nisso devemos meditar sempre: revisitar a vida de forma cada vez mais constante, para aprender mais pela vivência e pelo aprofundamento do sentir, do que a partir das noções do que se sabe”

“O homem esquece que o conhecimento só o torna infeliz se for sempre repetitivo e fixo; todos os seres que realizam sublimes noções intelectuais, teorias e fórmulas, compreendem, por fim, que as idéias inovadoras advêm de processos de desvelamento, onde não se pode controlar passo a passo*: trata-se de um recebimento a partir do divino (não importa quem seja o intermediário); pois tudo o que é novo vem primariamente de Deus e chega ao homem através de uma profunda busca empírica e sensível, ou seja, de uma fé nos princípios esclarecedores da vida do desconhecido – que está sempre a nos impulsionar para noções mais profundas quanto a nós mesmos, nos incentivando a um desvencilhamento constante das ideologias e do sentimento de posse, para que flua mais e mais a inteligência de cada momento!”

“A liberdade vem desse confiar em tudo, em conhecer a partir disso, e parar de se defender da vida, utilizando-se de ilusões ideológicas, para que o desvelamento da luz possa trazer a clareza da mudança e do aprendizado!”

“Para aprender a é necessário esquecer do velho, do que já sabes e do que já fizestes!”

“Aprendam, então, todos os dias, e sejam felizes em vossa liberdade de ser – esqueçam-se dos usos e lembrem-se do acolhimento das propostas de Deus, presentes em cada momento de suas vidas.”

“Esqueçam do glamour das situações idealizadas, tão distantes;

“Lembrem-se da construção a partir das pequenas coisas que constituem os processos da vida”!

“Autoconhecimento é quando você reconhece aquilo que, dentro de você, quer mudar…

 

E quando você dá vazão a isso, uma parte de você vai embora e outra vem – quem permanece nesse processo, constantemente, verdadeiramente se autoconhece!”

Deus abençoe essa jornada da alma!

 

Ditado por: Lucius e Ronien Massaruken.

* ¹:Acrescentamos a matéria de capa da super interessante de setembro ,chamada: Razão X  Emoção, que trata bem desta questão de escolher o que compete a cada uma durante a vida, ressaltando novos testes científicos: https://skydrive.live.com/redir.aspx?cid=e2b80d23e6cfa30b&resid=E2B80D23E6CFA30B!787&parid=E2B80D23E6CFA30B!173&authkey=!AM7YWH2U2m8yieE

*: Einstein por exemplo afirmou, entre outras coisas: ” Penso noventa e nove vezes e não encontro o que procuro, deixo de pensar e eis que a verdade me aparece”.

POSTAGEM RELACIONADA:

O Verdadeiro Eu –  https://aprendizdemensageiro.wordpress.com/2012/04/03/overdadeiroeu/

 

TEXTO RECOMENDADO:

http://dharmalog.com/2011/06/13/o-dominio-da-propria-mente-esta-dentro-das-nossas-possibilidades-diz-sri-aurobindo/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s